quinta-feira, 18 de maio de 2017

Sempre a tempo e horas - com uma pitada de opinião

Sei que já passaram uns dias, mas não podia deixar passar este acontecimento, que nem num milhão de anos esperava que viesse a acontecer, afinal de contas,  cresci a ver o contrário a acontecer e nunca vi ninguém a acreditar muito na causa, mas claro, depois de sermos CAMPEÕES EUROPEUS DE FUTEBOL no único ano em que acompanhei devidamente o acontecimento, está claro que no único ano em que não acompanhei o Eurovisão como deve de ser.... GANHÁMOS!!!

“Music is not fireworks; music is feeling. So let’s try to change this and bring music back.”
Já tinha ouvido um certo buzz em relação à musica, e a termos ido à final (o primeiro milagre), mas não liguei muito. Quando ouvi a música pela primeira vez (e todas as vezes a seguir), fiquei encantada, MAS, a equalista e a parte mais liberal de mim acabaram por ter que vir ao de cima, e acabando por estragar-me a música e por me fazer sentir culpada/mal de cada vez que me emociono com/canto/whatever a música, para vos explicar como deve de ser, concentrem-se na letra, nada mais, apenas a letra.
Amar pelos dois 
Se um dia alguém
Perguntar por mimDiz que viviPara te amarAntes de ti
Só existiCansado e sem nada p’ra darMeu bemOuve as minhas precesPeço que regressesQue me voltes a quererEu sei
Que não se ama sozinhoTalvez devagarinhoPossas voltar a aprenderSe o teu coração
Não quiser cederNão sentir paixãoNão quiser sofrerSem fazer planos
Do que virá depoisO meu coraçãoPode amar pelos dois 
Autoria: Luísa Sobral | Interpretação: Salvador Sobral
A que conclusão chegam?
Exatamente!!
O Salvador(A) desvaloriza-se completamente, pois considera que antes de B não existia, todas as suas vivências, memórias, conhecimentos adquiridos não serviram de nada, B é o norte da sua vida.
MAS, B a certa altura deixou de sentir o mesmo que A, enfim, as pessoas mudam, e seguiu em frente, uma decisão que para mim é a mais acertada, então B, em vez de também seguir em frente com a sua vida e tentar encontrar alguém novo para amar ou arranjar forma de se amar a si próprio (porque claramente tem problemas de auto-estima), decide fazer o contrário e implorar (embora de uma forma muito gira, fofinha cutxi-cutxi) a B que volte para si, que o volte a aprender a amar, mesmo não sentindo paixão nenhuma, e acreditando que B lá volta para a tal relação (na minha opinião, um bocado sem vontade), e até que B o volte a amar, o coração de A é que vai amar tudo, o que, me parece o mesmo que falar para uma parede, não sei se me consegui fazer entender.
Se alguém me aparecesse à frente e me cantasse alguma coisa do género, independentemente  de ser boa pessoa ou não, seria convidado a ir dar uma curva.
Por respeito a mim e a essa pessoa.

E é por isto que apesar de estar muitíssimo contente com o facto de termos ganho alguma coisa (no Enterro até puseram a atuação nos ecrãs e tudo, foi lindíssimo), o meu subconsciente rejeita a música.
Enfim, não tem jeito nenhum, mas é o que temos.

Com amor,
Laura

Sem comentários:

Enviar um comentário